Conversa Brasileira

May 8, 2009

Travel 1: Hanging out at Breakfast 1

Filed under: Videos — natalie @ 10:51 pm

As Gilberto Gil sings, “O Rio de Janeiro continua lindo.” And that is the topic of discussion for Denise and Valentino as they chat at the breakfast table. The newspaper has an article on the violence in Rio, but Denise and Valentino just aren’t buying it. Nowadays São Paulo seems to have its share too. So our two Paulistas come to the defense of Rio de Janeiro. And São Paulo doesn’t have Corcovado, Pão de Açúcar, or Maracanã. It all makes for a nice Conversa Brasileira.

58 Comments »

  1. I love listening to your Conversa Brasileira videos. As a gringo trying to improve my portuguese, these types of authentic conversations are critical. The pop up boxes are very clever and well done. Please post more when you have time.

    Comment by Jim — May 14, 2009 @ 8:58 am

  2. Adding the photos to the pop boxes was a great idea. The photos were so pretty that I wanted to click on them to make them larger and see the details. I also really like that Orlando speaks English and the Brazilians speak in Portuguese. I stopped a looked at myself and realized that this bilingual commentary probably sounds a little weird to known Portuguese students.
    Only negative comment is that I kinda think that comments should be below the video page. Maybe more of the youtube look, where you have the video and then underneath that you have your options to rate, share, (view PDF), comment, etc.

    Comment by Daniel — August 27, 2009 @ 1:32 pm

  3. A situação discutida por Valentino e Denise no vídeo “O Café da Manhã 1” acontece em muitas cidades de Latino America. Os turistas são desencorajados de viajar às grandes cidades como Rio(Brasil)ou Bogotá(Colômbia) por conta da violência mas em realidade a vida nestas cidades não é tão insegura como os médios de comunicação dizem. São cidades com muitas atrações turísticas. O fato que são cidades tão grandes requere que você ande com um poço de cuidado especialmente de noite, com o mesmo cuidado que você andaria em Nov York.

    Comment by Andrea Cuadrado — September 26, 2009 @ 5:44 pm

  4. Como estudante acho que estes vídeos são muito úteis e interessantes. As conversação são realmente interessantes ao contrário dos vídeos chato que vezes tinha que assister no colégio.

    Comment by Yvonne — September 27, 2009 @ 12:25 am

  5. Que conversa barbara! So, basically these two people are talking about how they think it’s unfair that Rio gets slapped with this reputation of danger when pretty much all big cities in the world (“especially in Brasil” I think they say, which I’m not sure helps their case)are dangerous. They’re sick of hearing about crime in Rio when the city has so many beautiful things to offer. I think they’re crazy. Why are they upset? Rio’s a dangerous place. If crime went down maybe the newspapers would stop running stories about it. Can you really walk around at night in the Zona Sul? That’s legal. Why were they so happy that Campinas is ahead of Rio in the crime/population ratio? Why do they like Rio so much? Aren’t they Paulistas? This video raises more questions than it answers.

    Comment by Aaron — September 27, 2009 @ 1:11 pm

  6. I liked how this conversation took place in relaxed setting…sitting at the table eating and reading a newspaper. Somehow, it gave more impact to the actual conversation at hand. Valentino and Denise are discussing how, once again, a story has been published on the crime in Rio. They’re defending by saying it’s a touristy place, and thus, safe. It was nice to listen to an authentic conversation by someone who has had their own experiences in Rio.

    Comment by Natasha — September 27, 2009 @ 9:26 pm

  7. I agree with the previous two posts…it’s very interesting that the conversations are about real world, recent topics but the fact that the two Paulistas are defending Rio doesn’t make much sense. The pop-ups and subtitles are very helpful.

    Comment by Emily — September 27, 2009 @ 9:31 pm

  8. After listening to this clip, I can understand why these “paulistas” are frustrated to read this same article about Rio. I think the article is a bit absurd (especially if it’s already been published) and I can see how in can be discouraging for people that want to travel to Rio. There are many great things about Rio and really, no matter where one goes in the world, there will always be crime. Like Denise stated, there are many areas that are under police control to regulate the dangers of these big cities, but that is everywhere so it’s definitely not out of the question that you “shouldn’t” travel there. What is interesting though about this clip is that even these two that are not originally from Rio, they still defend the city.

    Comment by Jessenya — September 27, 2009 @ 11:17 pm

  9. Este vídeo diz a verdade. Não é justo supor que uma cidade é perigosa só por uma estatística. Sei que na minha escola secundária havia uma luta grandíssima e o jornal disse que a minha escola era perigosa. Mais isso não era a verdade. A mídia fez a proporção da luta mais grande do que era de verdade. Pois eu concordo com Denise e com Valentino que não toda a cidade de Rio é um lugar perigoso. Não julgue um livro pela capa. Você se surpeenderá o que achará se procurar. Não tenho ido ao Rio mais suponho que é uma cidade maravilhosa e bonitíssima.

    Comment by Pedro Layton Gullette — September 27, 2009 @ 11:48 pm

  10. I do not agree with them! My friend is currently studying abroad in Rio and in the past 3 months he has been robbed two times! Each member of my Brazilian family has a story about the time they were robbed while living in Rio. I don’t understand the intention of this clip. I will however say that they seem to be excited about the attractions in Rio. I wish the clip was more focused on this, instead of the crime in Brazilian cities.

    Comment by Melissa — September 28, 2009 @ 12:08 am

  11. Que interessante!Eu desejo que pudesse ir Corcovado, Pão de Açúcar, ou Maracanã. Não, eu quero ir todos os lugares.

    Comment by Christiana — September 28, 2009 @ 6:46 am

  12. I agree with the above post. I think that the crime is bad in Rio because I have heard multiple stories in the news about the violence in Rio. I know if I went to Rio I would be very cautious. I did however in enjoy this clip.. both actors were easy to understand and these types of videos allow me to improve my portugues. I look forward to doing more of these.

    Comment by Mary — September 28, 2009 @ 6:51 am

  13. I enjoyed doing this, I was able to understand bits and pieces,and having the text in Portuguese really helped me to understand it better. I like how you get a Brazilian’s perspective on the media’s portrayal of Brazil because I know my family thinks the country is very dangers, but I’ve never heard a native’s opinion on the topic.

    Comment by Chris — September 28, 2009 @ 8:14 am

  14. Theses types of videos really help to pick up on the small naunces of the language. The pop up boxes are extremely helpful in that regard as well. I don’t think the topic of the conversation (violence in Rio) matters too much however, since the majority of people who watch these videos are trying to learn the language, not get accurate commentary on Brasilian events. As a language learning tool, it is very effective in helping students improve listening comprehension.

    Comment by Kristin — September 28, 2009 @ 8:22 am

  15. I liked the description of Rio’s sites. Rio is the city in Brasil that I have visited. I’ve been to corcavado and Pao de acucar. I liked hearing them describe these places, but I wasn’t even allowed to wear jewelry to ipanema… so I doubt that it’s as safe as these two kiddos seem to think that the zona sur is.

    Comment by sarah — September 28, 2009 @ 8:32 am

  16. This small clip goes to show that there are multiple facets to every city. There is a tendency to idealize touristy spots and ignore the real issues in those areas. Wherever you go you have to be careful, especially when you stick out as a tourist. However, this doesn’t really discourage me from visiting Brazil in the near future.

    Comment by Rebekah — September 28, 2009 @ 8:39 am

  17. I thought that it was a very good point that, while there are places in Rio that are crime ridden, the tourist spots are well policed by cops who are at least not any more corupt than any other police force.

    Comment by Will — September 28, 2009 @ 8:47 am

  18. Palavras que não entendi: desencorajando, petiscar

    da parte que fala espanhol em minha cabeça achei que Vivian falou “chigar” mas foi xingar que dizer “insultar” em espanhol.

    Qual é a diferença entre e quando usam:
    torcedor e fã
    Garota e menina

    me lembro e lembro: qual é mais comum pra remember
    Denise falou “Você lembra daquela psquisa…”

    Pode esclarecer mais “já da imprensa” não entendi com usar já e esse frase

    Comment by Daniel Heron — February 5, 2010 @ 9:50 pm

  19. Estou ouvindo palavras como “né” e “hein” e não entendo muito bem a maneira em que usamos eles. Também a palavra “puxa” me dá confusão sobre o contexto do uso. Que são estes palavras lançadas no meio da fala?

    Comment by Benjamin Echelson — February 6, 2010 @ 12:22 pm

  20. De novo eu não entendo bem a palavra hein. Eu ouvi no ultimo video a moça falando-a mas ainda não posso encontrá-la no meu diccionario ou em “Michaelis.”

    Comment by Jennifer Cheek — February 7, 2010 @ 2:07 pm

  21. Que significa “aquilo”? Tem outros expressões que usa essa palavra?

    Comment by Swetha Nulu — February 7, 2010 @ 6:57 pm

  22. Gostei muito da frase “que droga”, eu não sabia o significado. Eu achei interessante a diferenҫa entre “lembrar-se” e lembrar. Eu sempre uso lembrar-se “remember” mas não uso muito “lembrar” como “remind”. Quando ela disse “Você lembra…” eu entendi como “remember” sem “me, se, lhe”, mas não importa porque os Brasileiros não usam “me, se, lhe” muito.

    Comment by Christina Skaliks — February 7, 2010 @ 7:46 pm

  23. Como escrevo o riso no português (exemplo: no inglês e “hahaha” o “hehehe” e no espanhol e “jajajaja”). Porque rio? Não esperava ver o Valentino lá. Porque e “olha só?” Porque não e somente “olha”?
    Pão de açúcar e lugar turístico o e uma coisa que posso encontrar na padaria?
    Quais verbos pedem preposição?

    Comment by Josh Starks — February 7, 2010 @ 8:14 pm

  24. Tenho a mesma pergunta como Josh: porque “so”?

    Comment by Marina — February 7, 2010 @ 10:28 pm

  25. Qual é a diferença entre as palavras “boteco”, “botequim”, e “barzinho”? Essas são sinônimos verdadeiros o têm um pouco de diferença, como a diferença entre as palavras “pub” e “club” aqui nos Estados Unidos?

    Comment by Kristin Bonds — February 7, 2010 @ 10:40 pm

  26. Josh,

    Todo brasileiro que eu conheço pelo Messenger usa “haha” para rir, embora no espanhol se escreva “jaja”. Pensa na palavra “janela”, cuja “j” se pronuncia com vibrações na garganta. Não dá para representar o riso.

    Comment by Eric Solomon — February 7, 2010 @ 10:42 pm

  27. Eu não entendo o uso de “combinado” ao fim da conversa, e também não entendo o uso de “já” na frase “já da imprensa”. Pode esclarecer por favor?

    Comment by Carmen LeVine — February 7, 2010 @ 10:43 pm

  28. Por que falaram “combinado” no final do vídeo? Entendi o contexto, mas a palavra soa estranha nesse contexto.
    Também, tem alguma diferença entre as palavras “boteco, botequim e barzinho?” Ouço essas três palavras o tempo todo, mas não entendo a diferença.

    Comment by Nicholas Hall — February 7, 2010 @ 10:46 pm

  29. É interessante também a expressão “Que bárbaro”. Também existe no espanhol, mas eu diria que é principalmente um fenômeno sudamericano. Na Cuba (onde minha mãe nasceu) seria “Qué chévere”, no México seria “Qué padre” e na Espanha seria “Qué guay”.

    Porém, conheço muitos argentinos e uruguiaos que falam “Qué bárbaro” (how cool). Seria interessante uma pesquisa sobre a co-evolução das línguas portuguesa e espanhola ainda depois da colonização das Américas.

    Comment by Eric Solomon — February 7, 2010 @ 10:54 pm

  30. Eu ainda estou confudido sobre o papel de ‘já’ em uma frase, como o apresentado no período. Parece que, se retirado a palavra, o periodo teria o mesmo resultado. Eu gosto de como eles usam adjetivos americanos normalmente não uso, como tranquila e isso é uma grande confusão. Ele adiciona um sabor a falar.

    Comment by John Alexander — February 7, 2010 @ 10:55 pm

  31. Existem algumas coisas que me pareceu estranho. Eu entendi o tema principal, mas ainda estou tentando entender por que foi escrito como esse. Exemplos disso são “olha só” e “descorajar” e “é uma grande confusão” e “ta crime no Rio”. Eu nunca diria isso. Eu também reconheci muitos usos que eu já visto no espanhol, como o uso de “já” para dizer “now” e “que barbaro” para dizer “how great” or “how awful” depende do contexto. Eu gosto que sempre eu posso encontrar conexões entre o Espanhol e Português!

    Comment by Preston Achilike — February 7, 2010 @ 11:24 pm

  32. “olha só” significa “just look??”

    Comment by Preston Achilike — February 7, 2010 @ 11:26 pm

  33. Eu não acho que a razão as pessoas não vão o Brasil porque a violência. O Brasil tem uma melhor estereótipo de belas praias, pessoas e paisagens.

    Comment by Ilya Kuperman — February 7, 2010 @ 11:34 pm

  34. “mas essa é uma tradição já da imprensa,” – nesse frase, não entendo o uso de “já”

    tambem, estava um poco confudido porque a palavra “bárbaro”, porque aparece que tem outro sentido diferente que a palavra tem em ingles (estou pensando em “barbaric”)

    Comment by Barbara Fox — February 7, 2010 @ 11:54 pm

  35. Há muito informação na video, eu gostei do uso de expressões como ¨olha só¨, algo poco usado para mim. O conepto da palavra ¨combinado¨ é algo novo para mim também com a palavra ¨hein¨ que eu tenho ouvido muito ultimamente.

    Comment by Jackie Vega — February 7, 2010 @ 11:54 pm

  36. Eu apreciei realmente este vídeo porque tem muitas phrases nativos que eu nunca compreenderia se não foram explicados como o vídeo os explicaram.

    Comment by Jorge Maldonado — February 7, 2010 @ 11:57 pm

  37. é a primeira vez que eu ouvi a expressão “que droga”. Em inglês, pergunto se é a mesma coisa que “what lies!”.
    E o que significa a palavra “bárbaro” neste contexto?
    Eu tambem pensei que o Brasil era perigoso…

    Comment by Lynne Lee — February 8, 2010 @ 12:25 am

  38. Você não é brasileiro até você consigue a frase, que droga, mais a tradução dessa frase é um pouco extranho para mim. É interessante como as diferentes regiões usam palavras diferentes para expressar uma sensação de gosto como legal, maximo, e ainda barbaro. Eu sempre gostava do verbo combinar, porque no Salvador eu já escutei isso varias vezes, “a gente combina, viu.”

    Comment by Joe Gutierrez — February 8, 2010 @ 8:27 am

  39. Como é que, nesse video, parece que o sotaque dos paulistas é mais fácil entender que o das brasileiras nos outros videos que já nós vimos? Será por causa da situação? Quer dizer, “Adorro Cachorros” trata-se de um encontro entre duas pessoas estranhas, enquanto “Café da Manhã” é uma conversa entre namorados, ou pelo menos amigos. Se não seja forte demais dizer, me parece que o sotaque de São Paulo tem um ritmo mais uniforme e definido que os outros.

    Comment by Will — February 8, 2010 @ 4:18 pm

  40. Just wondering if the expression “A gente teve um tempo… super legal” is possibly an anglicism? If it’s not, it’ll be very easy for anglo learners to pick up, unless they’ve been conditioned against it in Spanish class!

    Comment by Tom Capuano — September 7, 2010 @ 7:34 am

  41. Tom,
    Good question for those who speak Spanish. There is no problem at all in using the word “super” and the word “legal” gets tons of milage in Portuguese. It’s one of those expressions that seems to be just as popular now as it was 30 years ago.

    Comment by orkelm — September 8, 2010 @ 8:42 am

  42. Eu sei muito bem que Rio de Janeiro não é a única cidade que tem crime. Quando eu estava morando em Goiânia, eu aprendi tomar cuidado em cada lugar que eu estive. Mas isso pode ser ainda pouco. Um dia de manha, eu estava andando de volta ao meu apartamento com a minha avó, e um ladrão quase roubou meu iPod! É uma historia muito divertida e interessante, mas muito longe para colocar aqui. Pois é. Quando eu fui para qualquer lugar, se era Salvador da Bahia o simplesmente a feirinha, aprendi segurar a minha bolsa muito bem porque crime é predominante no país inteiro.
    Entretanto, Rio realmente é uma cidade com muito crime e violência. Eu lembro que, nas semanas finais que eu estive lá, os habitantes dos morros do Rio eram praticamente em uma guerra civil com o governo da cidade. Eles estavam colocando fogo nos ônibus e carros quase todo dia. Era “Tropa do Elite” na vida real.

    Comment by Meleena Loseke — January 29, 2011 @ 8:18 pm

  43. É ótimo ouvir “que droga!” Essa é uma frase que eu sempre ouvi no Brasil. Significa “what a shame” ou algo assim. Gostei de ouvir que o Rio é uma cidade maravilhosa. É certo, o crime existe lá, mas também o crime existe em qualquer cidade! Quando eu estive lá, eu estava muito seguro. Também que coisa bacana de ouvir brasileiros falar sobre as notícias. Eles são muito detalhados com as conversas deles.

    Comment by Marc Hernandez — January 29, 2011 @ 9:13 pm

  44. Eu passei só quatro dias no Rio. Era lindo, mas eu vi só os lugares típicos do turismo como aqueles dissem no vídeo. Aqueles lugares são muito policados, então eu nunca vi o crime. Como o Valentino disse, “é uma grande confusão.”

    Uma pergunta,

    Denise disse, “A gente teve um tempo…super legal.” Eu sempre pensava que quando se fala de uma experiência boa, você diz assim, “A gente aproveitou muito a viagem.” ou “a gente se divertiu muito a viagem.” Meus professores no passado me ensinaram que dizer literalmente, “I/We had a good time” não funciona em português. Mas talvez isto não é verdade. Esse jeito é comum no Brasil ou não?

    Comment by Rudy Mikeska — January 30, 2011 @ 3:43 pm

  45. Uau! Este vídeo tem muitas expressões que eu não tinha ouvido. Quando falaou “que droga” eu pensei que era “drug” mas era “surpresa”. Também gostei de “olha, só” pra começar uma conversação. Mas, “que droga” também pode ter outro significação dependendo da oração? Como a palavra “bárbaro” que pode ser positivo mas também pode ser negativo.

    Comment by Marcy Rodriguez — January 30, 2011 @ 4:10 pm

  46. Nesse vídeo, há exemplos do que a gente fala na aula hoje. O uso das preposições com alguns verbos é um pouco difícil porque não tem logica. Por exemplo, o verbo ‘desencorajar’ é seguido por a preposição ‘a’. Preciso memorizer essas palavras que têm preposições específicas.

    Outra coisa interesante do vídeo é o falta dos pronomes. No exemplo de ‘lembarse’ de, a gente não tem que incluir o se na lingua fala. Este é muito difícil para mim porque achava que sempre precisa dos pronomes. Mas no português falado, não e tão importante.

    Uma coisa que eu não entendi era o uso de ‘já’ na sentença ‘essa é uma tradição já da prensa.’ Entendo que ‘já’ e uma advérbio mas por que usa ele aqui?

    Comment by Natalie Garza — January 30, 2011 @ 4:35 pm

  47. Eu gostei muito do video porque aprendi muitas expressões. Eu não conhecia as expressões “que droga” e, “combinado” mas acho útil saber delas. Eu gostei muito do pop-up de “Corcovado” porque as imagens são muito bonitas.

    Comment by Jackeline Neira — January 30, 2011 @ 7:30 pm

  48. Eu adorei este video porque me fez lembrar muitas coisas do Brasil. Más também lembro de que as pessoas sempre falavam que Rio de Janeiro é perigoso, não é? Eu fiquei nervosa quando eu fui para lá, más eu gostei muito, é uma cidade maravilhosa! Eu não lembrava de “Que droga!” eu tinha esquecido, más agora lembro! Também, eu gostei de “combinado”, eu nunca escutei isso, más acho que é útil.

    Comment by Erika Marcela Ocampo — January 30, 2011 @ 9:08 pm

  49. Eu não ouvi essa frase “Olha só” antes de até agora. Eu escuto “presta atenção!” mais não nessa expressão. Também eu gosto a palavra “já” pode ser usada antes de e depois. Eu pensei que só podia ser usada numa maneira. Eu gosto de como eles conversam sobre as áreas diferentes de Brasil. Eu realmente quero fazer uma viagem a Brasil logo.

    Comment by Nancy Benitez — January 30, 2011 @ 10:56 pm

  50. Gostei do clip e da conversa sobre o crime no Rio de Janeiro e em outros lugares no Brasil. É verdade o que eles falam do crime e da percepção do crime nessa cidade. Mesmo assim, é importante que os touristas saibam onde eles não devem caminhar, principalmente à noite. Lá no Rio fica tudo pertinho, e por isso é facil entrar numa área que talvez não seja seguro. Nesse clip eu notei o uso de gírias. “…[Q]ue droga!” é uma expressão de desapontamento, desgosto, e raiva. “É lógico” não é sempre uma gíria, mas muitas vezes é usado em contextos informais para concordar ou afirmar. “[P]uxa” é um termo que tem muitos significados mas aqui está mostrando uma tensão entre a experiência da falante e da reportagem sobre o crime no Rio. “Aquilo é bárbaro” significa que aquila é muito bom, bacana, legal, etc. Finalmente, o clip termina com, “Combinado.” Isso quer dizer que uma coisa, nesse caso uma visita ao Rio de Janeiro, está combinado ou planejado por eles.

    Comment by James Lander — January 30, 2011 @ 11:08 pm

  51. É triste mesmo o fato que a violência geralmente caracteriza o Rio e virtualmente todas as grandes cidades brasileiras. Como eu não tem viajado para o Brasil não tenho certeza se a violência la é realmente tão marcada ou se é só sensacionalismo jornalistico.

    Comment by Bernardo Sánchez — January 30, 2011 @ 11:17 pm

  52. Assim como os outros alunos, eu gostei muito da expressão “que droga!” Eu acho importante ter muitas opções na fala cotidiana para expressar decepção, que não sejam palavras feias.

    O asunto da violência no Rio infelizmente se exagera muito, tal vez a causa do filme “cidade de deus”.

    Comment by Georgia — January 30, 2011 @ 11:33 pm

  53. Assim como os outros alunos, eu gostei muito da expressão “que droga!” Eu acho importante ter muitas opções na fala cotidiana para expressar decepção, que não sejam palavras feias.

    A presença da violência no Rio infelizmente se exagera muito, tal vez a causa do filme “cidade de deus”.

    Comment by Georgia — January 30, 2011 @ 11:58 pm

  54. Gostei deste clipe. Eu não sabia esse significado de combinar. Também é interessante o tema da violência e da sua representação na média, e do efeito de essa representação na percepção que o mundo tem duma cidade ou dum pais. Pelo exemplo, qual foi (ou é) o efeito de Cidade de deus?

    Comment by Cesar I. Taboada — January 31, 2011 @ 12:27 am

  55. A gente já sabe que lembrar-se e lembrar tem sentidos diferentes, mais tipicamente os brasileiros não usam o pronome reflexivo quando falam. Então há outros verbos que são reflexivos que os brasileiros usam sem pronomes?

    Comment by Christine Wu — January 31, 2011 @ 12:37 am

  56. As gírias de Portugues são muito interessante pra mim por causa de significa muda dependente em a situação. Denise disse que ” aquilo é bárbaro” com o significado que “aquilo é otimo!” Esse frase faz me pensar na gíria “que legal!’ e como a palavra “legal” significa “algo da lei” e a gíria significa “excelente” ou “fantástico.” A palavra significa literalmente quase o oposto. “Legal” e “bárbaro” são similares nesse sentido. É muito útil para saber que as Paulistas usam essa gíria bárbaro porque as gírias variam entre os estados do Brasil.

    Comment by Anna Chabot — January 31, 2011 @ 12:55 am

  57. Eu achei muito interesante o uso do “que droga” e evidente que tem conotacao negativa mas ai, nao e usado da forma que eu pensei. Outra expressao que gostei foi “combinado” mas tambem notei muito necessaria a explicacao da realidade da invitacao pra viajar com alguem. Porque eu pensaria que ta falando com certeza, e verdade ele quer que eu viajar com ele mas nao e assim ele tem que continuar a insistir.

    Comment by Natalie Plaza — January 31, 2011 @ 1:03 am

  58. Gostei do clip, mas também gostaria de responder a alguns comentarios dos comentários sobre o crime, ou pelo menos sobre o comentário sobre o filme Cidade de Deus. Acho que com o filme, havia um pouco de atenção ao crime e a violência, mas também há o turismo de favelas. A gente quer “ver” lugares como a Cidade de Deus, e acho que é interasante. Estou curioso para ver se as expressões funcionam em lugares como as favelas, considerando que no study abroad program que vou fazer, a gente vai trabalhar nas favelas, e não nas localidades mais…turisticas.

    Comment by John Reyes — January 31, 2011 @ 1:10 am

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Leave a comment

Brazilpod  |  2014-11-21, 11:56:39 PM